analisador de vibrações modo de funcionamento

Analisador de vibrações 4

Analisador de vibrações  4

Seguidamente, em analisador de vibrações 4, apresentamos o tema do zoom. Efetivamente, este artigo faz parte de uma série de artigos que explicam o modo de funcionamento de um analisador de vibrações.

De facto, quando efetuamos análise de vibrações, necessitamos de compreender o modo como funciona um analisador. Por isso, aqui apresentamos os conceitos de análise digital de sinal, implementados num analisador FFT. De forma a serem de fácil compreensão, apresentamo-los sempre do ponto de vista do utilizador.

Seguidamente, em analisador de vibrações 4, no link, podemos ver a gama de analisadores de vibrações fornecidos pela D4VIB.

Em seguida, apresentamos o conteúdo desta série de artigos.

  1. Qual é a relação entre tempo e frequência
  2. Como funciona a amostragem e digitalização 
  3. O que é o Aliasing e que efeitos tem
  4. Em que consiste o zoom e como se usa
  5. Como se usam as janelas na forma de onda 
  6. Para que servem as médias 
  7. O que é a largura de banda em tempo real 
  8. Para que serve o processamento em sobreposição (“overlap”)
  9. Em que consiste o seguimento de ordens
  10. O que é a análise do envelope
  11. As funções de dois canais no domínio da frequência
  12. O que é para que serve a Órbita
  13. Quais são as funções de um canal no domínio do tempo
  14. Em que consiste o Cepstro
  15. Quais são as unidades e escalas do espetro

4 Em que consiste o zoom 

Para começar, suponhamos que se pretende medir uma componente de frequência de nível pequeno, quando esta está muito perto de uma muito maior. Por exemplo, tome-se o caso de uma banda lateral em torno de uma frequência de engrenamento. De forma igual, podemos querer distinguir entre a vibração à frequência da rede e o desequilíbrio do veio no espectro de um motor elétrico assíncrono.

De facto, recorde-se ainda o que se referiu sobre as propriedades do FFT. Como é sabido, a nossa resolução de frequência é limitada à frequência máxima dividida pelo número de de linhas do espetro.

Por exemplo, é sabido que, por exemplo, para separar duas linhas de 60 Hz, numa espetro até a 20 kHz, temos de ter 333 linhas no espetro. Contudo, seriam necessárias duas ou três vezes mais linhas,  para medir, com precisão, as bandas laterais.

Desta forma, uma maneira de abordar este problema, é o de concentrar as linhas, na gama de frequência do interesse.

Deste modo, se selecionarmos a frequência mínima, bem como a frequência máxima do nosso espetro, podemos “ampliar” para um Zoom de alta resolução, da gama em causa.

É de referir que esta forma de aumentar a resolução, é chamada de “Zoom”.

De forma a ilustre o que texto, de seguida em analisador de vibrações 5, vemos aAnalisador de Figura 21 Medições de alta resolução, com Zoom, num analisador de vibrações
Figura 4.1 Como referido, aqui vemos a utilização de medições de alta resolução, com Zoom, num analisador de vibrações

Seguidamente, vemos o diagrama de blocos da funcionalidade do Zoom , num analisador de vibrações.

 

De forma a ilustrar o texto, de seguida em analisador de vibrações 5, vemos a Figura 42. De facto aqui vemos o diagrama de blocos do analisador de vibrações, de forma para a implementar o Zoom
Figura 4.2 – Assim, nesta figura vê-se o diagrama de blocos do analisador de vibrações, para a implementação do Zoom

De forma a ver uma apresentação sobre este tema, em Analisador de vibrações 4,  clique aqui.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Rolar para cima